Você sabe quais são os tipos de Ansiedade?

Atualizado: 25 de out. de 2021


É muito comum a gente pensar que ansiedade é tudo igual, mas não é. Existem alguns tipos de ansiedade, mas antes de explicá-los você precisa saber diferenciar a ansiedade comum da ansiedade como adoecimento psicológico.

A ansiedade comum é aquela que todos nós vamos sentir em algum momento da vida quando algum fator externo a desperta. Exemplo: quando batemos de carro, estamos com algum problema no trabalho ou tivemos algum mal entendido no nosso relacionamento amoroso.

Já a ansiedade patológica (adoecimento) acontece independente de haver um fator real que a desperte além de ser sentida de forma muito intensa, você passa o tempo todo pensando em algo que pode dar errado. Neste caso, ficamos ansiosos com coisas normais da nossa rotina. Há uma tentativa de ter tudo sobre controle e uma preocupação excessiva com o futuro. Exemplo: medo de não dar conta do trabalho, preocupação se seu relacionamento está realmente bom...

Agora que você já sabe diferenciá-las, pode aprender sobre os tipos de ansiedade e avaliar se você se encaixa em algum deles.


Transtorno de Pânico: é quando acontece um disparo na ansiedade de forma abrupta e repentina. Exemplo: você pode estar caminhando na rua de boas quando do nada seu coração dispara, começa a te dar tremedeira, sudorese, dor no peito e falta de ar. Não aconteceu nada para que você ficasse assim. Isso vai te gerando um medo enorme de perder o controle e até de morrer.

Devido a intensidade atinge seu pico com 10 minutos e pode durar até 30 minutos. Os sintomas tendem a diminuir sozinhos após este período.

Percebe que não houve primeiro uma preocupação com algo e depois os sintomas?

O ataque de pânico acontece de forma inesperada e sem motivo aparente. Após o primeiro episódio algumas pessoas terão muito medo de que aconteça de novo e assim surge o Transtorno de Pânico.


Agorafobia: é um medo ou ansiedade marcantes de situações específicas onde você sinta que pode ser difícil sair. Como por exemplo o medo de usar transporte público, permanecer em espaços abertos, permanecer em locais fechados, permanecer em fila ou ficar em meio a multidão ou sair de casa sozinho.

Aqui o medo central é de estar em situações onde imagina ser difícil pedir ajuda caso passe mal. Entenda que não um medo do local especificamente, mas da dificuldade que o este poderá gerar para você receber ajuda.


Fobias específicas: há um medo ou ansiedade intensa de objetos ou situações específicas. Exemplo: muito medo de lagartixa ou andar de elevador.

Há uma tensão muito grande frente ao estímulo que a pessoa teme, seja ele real ou imaginário, ou seja, a pessoa terá muito medo de algo só de pensar ou visualizar a cena no celular, por exemplo. Este medo deverá ser desproporcional ao real perigo que a situação exige.

Assim, começa a evitar qualquer tipo de situação que possa estar em contato com aquilo que tanto teme.


Ansiedade Social: é caracterizado por um medo ou ansiedade intensa para situações de exposição social onde se sentirá sendo avaliado pelos outros. Não necessariamente você precisa estar sendo avaliado de fato, mas é assim que vai se sentir. Exemplo: medo de fazer o pedido num restaurante ou falar ao telefone.

Há um enorme medo de ser mal interpretado e com isso você vai tentando se moldar fazendo de tudo para falar "perfeito", mas isso acaba gerando sintomas como ficar ruborizado, suar, corar o rosto e ter dores de barriga.


Ansiedade Generalizada: há uma ansiedade e preocupação excessiva com diversos eventos e atividades da rotina, ocorrendo na maioria dos dias por mais de 6 meses.

A ansiedade vai estar direcionada a preocupação com coisas da rotina, como: desempenho no trabalho, relação familiar, cobrança em fazer tudo perfeito…

Há uma fantasia de que as coisas no futuro podem sair do controle, imaginando situações catastróficas, aquele famoso “E se..”

Esse tipo de pensamento cria uma dificuldade para você controlar a preocupação real e acaba como um ciclo vicioso onde você fica pensando em situações que podem dar errado o dia todo.

Os sintomas podem ser inquietação, irritabilidade, dores de cabeça, tensão muscular, insônia, desatenção e dificuldades para relaxar, estando sempre cansado.

Repito, tudo isso acontece sem que precise haver algum estímulo realmente ameaçador, tudo na sua rotina pode despertar a ansiedade.

Esse é um breve resumo dos tipos de ansiedade que podem acontecer.

Todos eles podem gerar sintomas físicos e emocionais desconfortáveis, sendo que em alguns casos trará prejuízos maiores, pois você pode começar a ficar paralisado, evitando ao máximo algumas situações para não despertar a ansiedade.

Entretanto, a evitação não é o melhor caminho para tratar a ansiedade, pois você só está se esquivando do problema real.

Por isso todos esses tipos precisam ser tratados com psicoterapia, para que você possa entender o que aconteceu para despertar essa ansiedade e como cuidar para que isso diminua.


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo